A Idolatria

O que realmente é isso?

O Significado

Aos olhos da fé, além de seu significado literário, a palavra está diretamente relacionada a adoração de deuses e imagens.

Por ser uma proibição que consta nos textos originais dos 10 mandamentos, simplesmente é obedecido e as pessoas não se importam com o verdadeiro sentido da proibição.

Na verdade, Deus proibiu a adoração a qualquer tipo de imagem, inclusive a Dele, se um dia alguém inventar de representá-lo. O texto é claro: "[...] Não farás para ti imagem de escultura, figura alguma do que há em cima nos céus, abaixo na terra e nas águas debaixo da terra [...]".
O contexto que este mandamento está incluído também é bem claro: ele estava se referindo a deuses esculpidos, pois era comum transformar sol, vaca, porco, lua, homem e etc. em deuses para serem adorados.


A sabedoria Divina não se limita em permitir ou proibir

O primeiro problema da idolatria é que as imagens desviam nossas intenções, pois influências físicas e visuais tem muita força sobre nossas almas.

Os católicos conhecem o poder que a oração ganha quando entramos em uma igreja e nos ajoelhamos diante do Jesus Crucificado. Ao fazermos nossos agradecimentos e pedidos, sentimos que aquele cenário misteriosamente potencializa a nossa oração e fé.
A mesma oração feita em casa, de joelhos ao lado da cama, é forte, mas não parece ter tanta energia Divina.

Sabe porque isso acontece?
Inconscientemente associamos aquela imagem a presença do ser que ela representa. Isso é tão forte que, quando falamos com a escultura de Jesus, temos a sensação que o ser está ali naquele momento. Tal associação faz com que nossa oração seja dirigida a imagem, e não ao verdadeiro Yeshua.

Influências de religiões pagãs e interpretações distorcidas das escrituras, nos fazem acreditar que não é possível nos comunicarmos diretamente com alguém que está lá no Reino dos Céus, de acordo com algumas doutrinas, bem longe de nós e isolados do nosso mundo.


O verdadeiro perigo

Quando um justo é convencido de que não tem dignidade, capacidade e permissão de se comunicar diretamente com Deus, ou com Yeshua, automaticamente ele precisa de uma ponte que faça esta intermediação, pois o coração do justo necessita manter uma ligação contínua com Elohim.

Isto é irremediavelmente devastador, pois este justo passa a se apoiar em instituições, entidades, pessoas e até em espíritos que se dizem intermediadores.
Falando mais claramente, fica exposto a igrejas, santos, pastores, padres, rabinos e até mesmo a demônios que se dizem pontes para o mundo Divino.

O justo fica a mercê de alguém, ou alguma coisa, que interceda em seu nome, e acaba escravo destes intercessores. Um escravo está sujeito as ordens de seu Senhor, a suas verdades e a sua existência.


Outras idolatrias

"Ninguém pode servir a dois Senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. [...]" Matitiyahu 6:24

O mundo está cheio de ídolos e pessoas que os idolatram: espíritas, gnósticos, budistas, indianos e tantos outros que acaba ficando impossível enumerá-los. São idólatras de imagens, ou objetos, associados a divindades que não fazem parte do Reino de Elohim. A maioria destas pessoas sabem exatamente o que estão fazendo, e outras nem tanto. Neste segundo grupo incluem-se os totalmente perdidos em ensinamentos distorcidos e seus corações acreditam que estas divindades são agradáveis a Deus.

Existe uma outra classe de idólatras bem peculiar: o fã.
Admirar alguém, ou alguma coisa, não é prejudicial. O problema é quando esta admiração passa a ser uma doença, como acontece com os fãs. Neste caso, o que é admirado se transforma em um ídolo e seus fãs o idolatram sem medir esforços, exatamente igual aos idólatras religiosos, eles dedicam seu tempo, coração e alma em favor ao que é idolatrado.

Outro grupo, pior que todos os outros, são os fiéis.
O problema é que estes se disfarçam de não idólatras e, fazendo uso das Escrituras Sagradas, condenam a idolatria. Eles tem certeza absoluta que sua instituição é possuidora da verdade e que, por isso, ela é única e santa. Muitos acreditam que seus líderes e palestrantes são canais de comunicação entre Deus e os seres humanos.
Normalmente os fiéis dedicam suas vidas e almas para as instituições e seus dirigentes.

<< AnteriorPróximo >>
A Essência dos ensinamentos Divinos