Sefer Matitiyahu

Livro de Mateus

Capítulo 12

1Naquele tempo passou Yeshua pelas searas num dia de Shabat; e os seus talmidim, sentindo fome, começaram a colher espigas, e a comer.
2Os p'rushim, vendo isso, disseram-lhe: “Eis que os teus talmidim estão fazendo o que não é lícito fazer no Shabat.
3Ele, porém, lhes disse: “Acaso não lestes o que fez David, quando teve fome, ele e seus companheiros?
4Como entrou na casa de Elohim, e como eles comeram os pães da mesa de יהוה, que não lhe era lícito comer, nem a seus companheiros, mas somente aos cohanim?
5Ou não lestes na Torá que os cohanim no Beit HaMikdash violam o Shabat, e ficam sem culpa?
6Digo-vos, porém, que aqui está o que é maior do que o Beit HaMikdash.
7Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios, não condenaríeis os inocentes.
8Porque o Filho do homem também é o Adonai do Shabat.”
9Partindo dali, entrou Yeshua na Sinagoga deles.
10E eis que Melech, um homem que tinha uma das mãos atrofiadas, rogava: “Eu era um escultor, buscando a vida com minhas mãos. Rogo-te, Yeshua, que restaures a minha saúde, para que não seja humilhado tendo que mendigar por alimento!” E eles, para poderem acusar a Yeshua, o interrogaram, dizendo: “É lícito curar nos Shabatot?
11E ele lhes disse: “Qual dentre vós será o homem que, tendo uma só ovelha, se num Shabat ela cair numa cova, não há de lançar mão dela, e tirá-la?
12Ora, não é melhor um homem do que uma ovelha? Portanto, é lícito fazer bem nos Shabatot.”
13Então disse àquele homem: “Estende a tua mão.” E ele a estendeu, e lhe foi restituída curada como a outra.
14Os p'rushim, porém, saindo dali, tomaram conselho contra ele, para o matarem.
15Yeshua, percebendo isso, retirou-se dali. E grandes multidões o seguiam; e ele curou a todos,
16e advertiu-lhes que não o dessem a conhecer;
17para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Yeshayahu:
18Eis o meu servo, quem Eu apóio; Meu Escolhido, em quem minha alma se agrada; Eu pus a minha Ruach sobre Ele; Ele fará a integridade sair para as nações.
19Ele não chorará, nem elevará sua voz na rua.
20Ele não quebrará uma vara ferida, nem extinguirá um pavio que esteja se apagando; Ele trará a justiça segundo a verdade.
21Ele não falhará nem será esmagado até que tenha estabelecido a justiça na terra, e as ilhas esperarão pela Sua Torá.”
22Trouxeram-lhe então um endemoniado cego e mudo; e ele o curou, de modo que o mudo falava e via.
23E toda a multidão, maravilhada, dizia: “É este, por acaso, o Filho de David?
24Mas os p'rushim, ouvindo isto, disseram: “Este não expulsa os demônios senão por Ba’al Zevuv, príncipe dos demônios.
25Yeshua, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: “Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.
26Ora, se Satan expulsa a Satan, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?
27E, se eu expulso os demônios dos vossos filhos por Ba'al Zevuv, por quem os expulsam os vossos filhos? Por isso, eles mesmos serão os seus juízes.
28Mas, se é pela Ruach Elohim que eu expulso os demônios, logo é chegado a vós o Reino de Elohim.
29Ou, como pode alguém entrar na casa do valente, e roubar-lhe os bens, se primeiro não amarrar o valente? E então lhe saquear a casa.
30Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.
31Portanto vos digo: Todo pecado e blasfêmia se perdoará aos filhos dos homens; mas a blasfêmia contra a Ruach não será perdoada.
32Se alguém disser alguma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado; mas se alguém falar contra a Ruach HaKodesh, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no olam haba.
33Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom; ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore.
34Raça de víboras! como podeis vós falar coisas boas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.
35O homem bom, do seu bom tesouro tira coisas boas, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.
36Digo-vos, pois, que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo.
37Porque pelas tuas palavras serás justificado, e pelas tuas palavras serás condenado.”
38Então alguns dos sof’rim e dos p'rushim, tomando a palavra, disseram: “Rabino, queremos ver da tua parte algum sinal.
39Mas ele lhes respondeu: “Uma geração má e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o do profeta Yonah;
40pois, como Yoná esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim estará o Filho do homem no seio da terra.
41Os ninivitas se levantarão no juízo com esta geração, e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Yonah. E eis aqui quem é maior do que Yoná.
42Meruah, a rainha do sul se levantará no juízo com esta geração, e a condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Shlomo. E eis aqui quem é maior do que Shlomo.
43Ora, havendo o espírito imundo saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra.
44Então diz: Voltarei para minha casa, de onde saí. E, chegando, acha-a desocupada, varrida e adornada.
45Então vai e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entretanto, habitam ali; e o último estado desse homem vem a ser pior do que o primeiro. Assim há de acontecer também a esta geração perversa.”
46Enquanto ele ainda falava às multidões, estavam do lado de fora sua mãe e seus irmãos, procurando falar-lhe.
47Disse-lhe alguém: “Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, e procuram falar contigo.
48Ele, porém, respondeu ao que lhe falava: “Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?
49E, estendendo a mão para os seus talmidim disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos.
50Pois qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe.
<< Anterior
Próximo >>
01020304050607080910111213141516171819202122232425262728