O Nome de Deus

Eterno, Deus, Javé, Jeová, Elohim, Adonay, Allah

O verdadeiro nome de Deus é יהוה

Com certeza uma Testemunha de Jeová já bateu na sua porta e, por causa dela, você pode achar que o nome de Deus é Jeová.
Mas não é.

Não podemos esquecer que as traduções das Escrituras Sagradas mais usadas no Brasil são baseadas nos textos em grego. Por isso a força do nome Jeová, e também de Jesus, na nossa cultura.

O verdadeiro Nome de Deus foi escrito pela primeira vez na Torá em Bereshit 2:4:
Estas são as origens dos céus e da terra ao serem criados, no dia que o יהוה os fez

Além deste versículo, centenas de outros também usam o Tetragrama Sagrado.

O tetragrama foi transliterado do hebreu para o grego e, devido a dificuldade de pronúncia, o som sofreu mutações na passagem para outros idiomas. Tudo isso acabou criando um novo nome que se transformou em uma equivalência, pois seu som não tem relação nenhuma com qualquer tentativa de vocalização do Tetragrama Sagrado.

Aparentemente a solução é simples, basta transliterarmos diretamente do hebreu para o português, e o som que resultar é o que devemos usar.
Ao fazermos isso, o que conseguimos é YHWH.
Não ajudou muito, não é mesmo?


O nome impronunciável

Nem mesmo os Israelitas podem nos ajudar.
A pronuncia correta vem do Cananeu, a língua que deu origem ao hebraico, e com o tempo as pessoas foram perdendo a capacidade de pronunciar corretamente o Tetragrama Sagrado יהוה.
No player abaixo, você poderá ter uma ideia de uma das maneiras de pronunciar o nome do Elohim:

Clique para o original.

Os Caraitas modernos defendem que é necessário adaptar o nome de Deus para as diversas línguas, para que as pessoas possam pronunciá-lo, pois cada língua tem o seu próprio sistema fonético, por isso usam a pronuncia Javé. Clique para o original.

A pronuncia original se perdeu não só pela extinção do idioma, mas também por causa do medo dos judeus de transgredir o 3o. mandamento de Deus.
Outro motivo é o divino respeito pelo Criador de todas as coisas. Seu nome é considerado sagrado demais para ser pronunciado por humanos pecadores e de pouca fé.
Também os estrangeiros seriam um problema pois, por desconhecimento, poderiam fazer uso do som mais divino de todos sem realmente saber do que se tratava.

Até hoje, toda vez que se lê o Tetragrama Sagrado יהוה, a vocalização é substituída pelas palavras Senhor, ou HaShem, ou Elohim.
Em algumas traduções da Tanakh, ele é graficamente trocado por Eterno Deus, evitando até mesmo o uso do tetragrama.

Esta proibição do Judaísmo Rabínico tem suas contradições na própria Tanakh, pois existem citações que mandam as pessoas evocarem o nome de Deus e, em outras, enfatizam a importância de não o esquecer.

A interpretação do texto original do mandamento que proíbe a vocalização do nome também é um problema, pois em algumas publicações lemos a frase com o sentido de "jurar em vão", em outras "levantar para falsidade" ou "atribuir a alguém ou a alguma coisa".


O uso do nome

Os Rabinos estavam certos: o uso indiscriminado do nome verdadeiro de Deus é capaz de banalizá-lo, a prova disso é o mau uso do nome Jeová.

Entre os Cristãos existe uma certa despreocupação com a Divindade do nome de Deus, e a grande maioria não fazem ideia da existência do Tetragrama Sagrado.

<< AnteriorPróximo >>
A Essência dos ensinamentos Divinos