O Pecado

Se separando de Deus

O que é pecado?

Antes de qualquer vínculo religioso, o Dicionário Michaelis traz uma ótima definição:

Já deu para ver que coisa boa não é.
E também não é simples, se juntarmos todas as definições religiosas, chegamos a conclusão que ao acordar iniciamos uma caminhada pecaminosa que só terminará quando voltarmos a dormir. Isso se não tivermos algum sonho mais animadinho.
A coisa começa a beirar o absurdo quando ficamos sabendo que basta nascer e pronto: já somos pecadores antes mesmo de conseguirmos enxergar o mundo.

Assim fica difícil, não é mesmo?
Vou tentar mostrar aqui o que realmente é o pecado, o que verdadeiramente acontece quando pecamos.


O pecado original

Você não acha um pouco injusto Adam pecar contra Elohim e nós sermos condenados?
Como pode um Deus justo fazer tamanha injustiça conosco?
Esta sensação de injustiça é o resultado de muitas historinhas e explicações erradas criadas pelo imaginário humano.

Os seguidores da Opositora Trindade

O teoria do pecado original foi concebido por São Agostinho, 400 anos depois da ressureição de Yeshua. Na realidade ele diz que herdamos o pecado e a culpa do ato pecaminoso de Adam que abriu, em todos os seus descendentes, as portas para a entrada do mal, da morte física e espiritual e de todas as suas consequências.

A Torá

A natureza humana é definida nos seguintes termos:

Da harmonia edênica depende a continuidade da vida.
Ao surgir o pecado, surge tambéma morte.
original
Resumidamente, o homem é vida e a consequência do pecado é a morte.

Na realidade, não herdamos o pecado original, e sim as consequências dele, que é a morte e o potencial de fazermos o mal.
Até o momento em que desobedeceu a Deus, Adam era santo e em sua natureza não existia o mal, pois ele só conhecia o bem.original

Tanto a Torá, quanto São Agostinho, ensinam o mesmo conceito.
Esta visão de que nascemos pecadores e vamos arder o fogo do inferno por causa disso provém de catequistas despreparados e líderes religiosos mal intencionados.


O verdadeiro pecado

É aquele que está dentro dos nossos corações e alma, pois nossas palavras e atitudes são resultado daquilo que sentimos e pensamos.

Todo mundo já ouviu falar que adultério é um pecado grave, pois além de transgredir os mandamentos de Deus, também causa sofrimento em outra pessoa.
Mas a gravidade de qualquer pecado não está apenas no ato em si, e sim em tudo que se passou no coração e alma antes, durante e depois de ser consumado.

Para chegar a se deitar com alguém fora do casamento, você terá que abrir seus pensamentos e alma ao desejo até alcançar uma realidade totalmente desprendida de sentimentos. Tem que estar pré-disposto a cometer um ato que não é correto. Caso não tenha consciência destas coisas, é porque está tão mergulhado em conceitos errados que, com certeza, o adultério é o menor dos seus pecados.

O ato é só a consequência de um coração e alma contaminados, por isso, não importa se o pecado é grave ou não, a sua origem é sempre a mesma.

Sabe aquele grampeador que "afanamos" no trabalho? Aquele que não tem valor nenhum, que temos dinheiro para comprar vários iguais, e mesmo assim, surrupiamos do escritório?
Pois é...
Não parece, mas este pecadinho é tão grave quanto o adultério, pois o grampeador vem acompanhado de atitudes aparentemente inocentes, mas que, na verdade, consomem nossas almas:

Nossa! Que exagero, é só uma "afanadianha inocente"!
Tente lembrar de alguma coisinha inocente que você tenha feito e reflita sem se enganar, tente contextualizar como se você fosse uma 3 a pessoa que apenas observa e estuda a situação em si e todas possibilidades relacionadas.
Se você conseguir ser verdadeiro nesta análise, vai se surpreender com o resultado.


O que dizem as escrituras

Resumindo um artigo do site Morashá, que apresenta uma explicação baseada no Talmud, o pecado é um ato auto destrutivo, e cometê-lo é nocivo e imprudente Uma tolice que leva o pecador a morte, ou seja, leva a ruptura da ligação entre homem e Deus. É um ato cometido pela parte de sua alma que é ligada ao mundo material, em um momento de profunda insensatez. É também uma oportunidade para o pecador se arrepender e tentar reconstruir sua união com Deus.

A visão judaica é mais complexa e profunda do que esta exposição, por isso aconselho a matéria completa clicando aqui

Já o site judaísmo Nasareno é mais categórico ao afirmar que o pecado é uma violação as leis da Torá, e que a remissão é alcançada com o conhecimento da verdade, pois Yeshua Hamashia ensina que o conhecimento da verdade nos libertará do pecado.
O autor do site nos lembra que no livro de Salmos, da Tanakh, existem várias passagens mostrando que a Torá é a verdade.

Mas o conhecimento que Yeshua se refere vai além do sentido da palavra, pois o verdadeiro conhecimento não existe sem a prática daquilo que se conhece.
Para ler o artigo completo, clique aqui.


Baseado nas seguintes citações de Yeshua:

Fica claro que o pecado é qualquer ato, ou palavra, capaz de entristecer o coração do próximo, ou capaz de violar qualquer lei da Torá.

<< AnteriorPróximo >>
A Essência dos ensinamentos Divinos